Movimento Bem Estar Sexual

Nós acreditamos que produtos eróticos podem ajudar um casal a aumentar sua intimidade e ter uma vida sexual ainda mais incrível.

Acreditamos também que os motéis podem, e devem, fazer parte da vida a dois.
Lá eles têm uma experiência completa de intimidade e entretenimento e renovam as energias.

Entendemos que o Bem-Estar Sexual faz parte da felicidade de uma pessoa, e que nós podemos fazer a nossa parte trazendo conteúdo relevante, que ajude as pessoas a entender melhor o seu corpo, e os benefícios do sexo na qualidade de vida de todos nós.


E pra você? O que é Bem Estar Sexual? #SWB

  • Orgasmo da mulher não depende só do homem, diz especialista

    Por Blog Testosterona

    É muito fácil dizer que o homem “não sabe fazer” e repassar a responsabilidade toda para cima dele. Mas a verdade é que, antes de tudo, a mulher precisa se conhecer para orientar o parceiro a ajudá-la nessa missão chamada orgasmo feminino.

    É o que defende a psicóloga e “sexpert” Tatiana Presser, autora de “Vem Transar Comigo”(editora Rocco).“É uma questão complicada porque custa ao homem entender que cada um é responsável pelo seu próprio orgasmo. A mulher é muito complexa sexualmente, se ela não se conhecer e não conhecer o próprio corpo, isso reflete no sexo. Muitas vezes a mulher não sabe como ela mesma vai chegar ao orgasmo, então o homem tem essa dificuldade e automaticamente se acha um ‘mau amante’”, explica.

    Orgasmo via penetração

    “Os homens também não sabem que 80% das mulheres tem orgasmo via clitóris, menos de 20% tem orgasmo via pura penetração. Então, obviamente, se ele vai pular o sexo oral ou a masturbação, e vai direto para a penetração, sem nenhum estímulo clitoriano, vai ser realmente muito difícil da mulher chegar ao orgasmo. E aí ele fica frustrado, ela fica frustrada, e fica essa sensação de que ela é frígida ou ele é mau amante, e isso é absolutamente equivocado”, esclarece a sexpert.

    O risco de fingir orgasmo

    Infelizmente, essa é uma prática comum entre as mulheres quando têm dificuldade de chegar ao orgasmo ou quando não estão gostando do que o parceiro está fazendo. E Tatiana alerta para o problema que isso pode ser: “Se a mulher está fingindo que está gostando, o cara está lá fazendo a técnica que fez com as cinco namoradas anteriores, e todas fingiram. O que acontece? Ele vai continuar se achando o máximo se a mulher fingir de novo. Ele precisa saber que não está arrasando. Porque é pelo gemido que ele sabe se tá fazendo a coisa correta ou não, se tá agradando ou não. Alguém precisa avisar”.


    Você pode ler a entrevista completa sobre orgasmo aqui

  • 6 coisas que você precisa saber sobre Viagra

    Por Blog Testosterona

    Se você é da turma que recorre àquele famoso comprimido azul que parece milagroso, atenção: ele pode resolver uma emergência, mas não é a melhor solução a longo prazo. A facilidade de ser comprado em farmácias sem receita médica e o efeito quase imediato brilham os olhos dos homens que têm problemas de ereção.

    O Viagra, remédio que é recomendado para homens em idades superiores a 50 anos, está sendo usado pelos mais jovens para lidar com fatores como insegurança e ansiedade.

    Então, por via das dúvidas, resolvemos conversar com um médico para responder algumas questões mais comuns entre os homens sobre o assunto. Quem respondeu as perguntas foi o Dr. Lawrence Utida, urologista da Clínica Unix, especializada em urologia. Aqui vão elas:

    1 - Qual a idade mínima para começar a tomar Viagra e qual a idade máxima?

    Não há uma idade certa. Mas geralmente são pessoas com mais de 50 anos, com doenças ateroscleróticas como infarto do miocárdio prévio, que acontece quando há uma obstrução nas artérias coronárias que diminuem o fluxo de sangue para o músculo cardíaco, fazendo com que falte oxigênio, inclusive para a ereção.

    Não existe uma idade máxima para uso do Viagra. Aparentemente, não há riscos para os idosos, pois o sildenafila (Viagra) não aumenta a incidência de doenças cardíacas.

    2 - Tem efeitos colaterais?

    Sim, pode ter alguns efeitos como: vermelhidão facial, cefaleia (dor de cabeça), dor nas costas, congestão nasal, indigestão, dores musculares e tontura.

    3 - Por quanto tempo dura o efeito do remédio?

    O Sildenafila (Viagra) tem uma meia-vida de 2,5 horas, ou seja, a cada 2,5h o nível do medicamento reduz pela metade. O indicado é tomar cerca de 1 hora antes da relação sexual.

    4 - O álcool interfere no efeito?

    Sim. O Sildenafila (Viagra) e vardenafila (Levitra) sofrem a influência das bebidas alcoólicas, fazendo com que isso reduza seus efeitos.

    5 - Ele resolve todos os casos de disfunção erétil?

    Não. A impotência tem causas por diversos fatores, pode ser desde componente psicológico até doenças orgânicas (doenças vasculares, endócrinas, neurológicas).

    6 - Interfere na fertilidade do homem a longo prazo?

    Não.


    Você pode ler a entrevista completa sobre orgasmo aqui

  • Cinco benefícios do vibrador que ninguém te conta

    Por Blog Testosterona

    O uso do vibrador ainda provoca muitas discussões entre a mulherada. Há quem ache desnecessário seu uso quando se tem um parceiro para suprir as necessidades e há as que digam que o brinquedo cumpre o papel melhor do que qualquer parceiro. O que muita gente não conta é que esse acessório erótico é muito mais do que um substituto ao homem.

    Lá em 1869, quando o primeiro conceito de vibrador surgiu, seu uso era medicinal e tinha como objetivo o tratamento da histeria nas mulheres. Os anos se passaram e ele ganhou um caráter mais ‘recreativo’. No entanto, suas funções medicinais continuam a pleno vapor ainda que estejam mascaradas pelo prazer que seu uso proporciona.

    Conversamos com o psicólogo, terapeuta sexual e especialista em sexualidade humana Marcos Santos, que nos revelou cinco benefícios que o uso do vibrador proporciona às mulheres.

    1 - Alívio dos sintomas da menopausa e das cólicas menstruais

    Assim como nos primórdios, o uso do vibrador contribui com a saúde feminina. Como? Ele atua diretamente na circulação sanguínea, tornando a vagina mais sensível ao mesmo tempo em que ativa seus pontos erógenos.

    Na menopausa, em que há a falta de estrogênio no corpo e a consequente diminuição do fluxo de sangue na região pélvica, o vibrador surge como auxiliar. Somado a exercícios pélvicos, ele fortalece a musculatura e a coordenação motora. Isso sem falar no fato de que mulheres que atingem o orgasmo sentem menos dores durante o período pré-menstrual.

    2 - Aumenta o prazer sexual

    Ao relaxar a musculatura do períneo (assoalho pélvico) e melhorar o fluxo sanguíneo da região, há um aumento da sensibilidade na área, que contribui com o prazer sexual e com a chegada ao orgasmo. Ele também é capaz de prevenir dores durante a relação sexual.

    3 - Quebra de rotina

    Quem disse que vibrador só se usa quando está sozinha? Em conjunto com o parceiro, ele proporciona novas formas de prazer e cria uma intimidade entre os dois.

    4 - Proporciona felicidade

    Que atire a primeira pedra quem não fica mais feliz depois de um orgasmo. E é claro que o vibrador tem esse poder! Ao utilizá-lo da maneira que considera ideal, a mulher descobre novas maneiras de sentir prazer.

    5 - Conhecer o próprio corpo

    Mulher nenhuma deve esperar conhecer um homem expert em sexo para descobrir seu próprio corpo. Uma mulher que se aventura em conhecer o seu corpo e que tenta descobrir cada ponto que lhe dá prazer fica mais segura para atingir o orgasmo e, claro, para ter uma relação mais saudável.


    Você pode ler a entrevista completa sobre orgasmo aqui

Realização: